top of page

cirurgia por corte de cesárea

thumbnail_IMG_0963.jpg

Quando há indicação de cirurgia, pode-se optar pela laparotomia (corte de cesárea tradicional) ou pela cirurgia minimamente invasiva, como a laparoscopia (pequenas incisões no abdomen de até 1,5 cm) e a histeroscopia (introdução de uma câmera dentro do útero via vaginal, indicada para miomas submucosos).

 

Os fatores que definem a escolha da via de cirurgia são a experiência do cirurgião, a infraestrutura do hospital, os materiais cirúrgicos, o número, o tamanho e a localização dos miomas. 

Apesar de proporcionar uma recuperação mais lenta do que a laparoscopia, o corte de cesárea ​permite que o cirurgião ginecológico consiga retirar praticamente todos os miomas, pois neste tipo de cirurgia, conseguimos preservar o tato, ou seja, conseguimos descobrir onde estão os miomas mais profundos com a palpação.

Uma analogia para deixar mais claro: pense no seu útero como se fosse um bolo de aniversário e os miomas seriam bolinhas de gude espalhadas por todo o bolo. Se pegarmos um hashi (palito japonês), que aqui seriam as pinças da laparoscopia, conseguiremos retirar algumas bolinhas, mas provavelmente não todas. Já se colocarmos as mãos no meio do bolo, pela palpação, todas podem ser retiradas.

Então, a cirurgia de corte convencional também tem indicação no tratamento dos miomas.

Hoje, pelo aprimoramento da técnica cirúrgica, a maioria dos casos são operados pela laparoscopia.

Na dúvida, converse com o seu ginecologista e busque uma segunda opinião.

bottom of page