top of page

MIOMECTOMIA
A cirurgia de preservação do útero

C10693F0-C8FE-44E6-85E6-DD98C22BF9CD.png

A miomectomia é a cirurgia de retirada dos miomas e preservação do útero. Indicada principalmente nos casos de mulheres com desejo reprodutivo ou para aquelas que desejam preservar o seu útero.

Trata-se de uma cirurgia, muitas vezes, trabalhosa e que requer uma equipe cirúrgica alinhada e experiente, principalmente pelo risco de sangramento. Como o útero é um órgão muito vascularizado e a miomectomia consiste em cortá-lo para a retirada dos miomas, a chance de hemorragia no intra operatório é aumentada. Quanto maior o número de miomas, maior o risco de sangramento ou de perda do útero. Na literatura, o risco de perder o útero em uma cirurgia de miomectomia é extremamente baixo, algo em torno de 1-3%,

Além do risco de sangramento, outra sequela possível da miomectomia é a formação de aderências pélvicas, ou seja, alguns órgãos podem grudar entre si. Sabemos que, na cirurgia de laparoscopia, por ser minimamente invasiva, esse risco é menor.

Mulheres submetidas à miomectomia, pela presença de cicatrizes no útero, tendem a ter indicação de cesárea quando engravidam, principalmente quando houve a retirada de múltiplos miomas, pois neste caso, houve também a formação de várias cicatrizes por todo o útero e ocorre uma maior chance de rotura durante o trabalho de parto. Essa complicação também está relacionada à técnica cirúrgica. Damos sempre preferência em realizar a sutura (pontos) no útero por camadas, evitando assim áreas de afinamento da sua parede. Daí a importância de uma equipe experiente.

A retirada dos miomas com preservação do útero pode ser realizada por corte de cesárea convencional (laparotomia) com 12 cm e 40 dias de recuperação, por laparoscopia ou robótica que consiste em 4 punções de aproximadamente 1cm e que fornecem mais rápida recuperação (14 dias) e menor tempo de internação. Outra opção cirúrgica é a histeroscopia e é indicada nos casos de miomas submucosos, aqueles que deformam a cavidade uterina.

Costumo dizer que o sucesso da cirurgia está vinculado a uma boa preparação pré operatória. Para as mulheres com miomas, faz-se necessário a realização de exames de sangue, avaliação cardiológica em casos de risco, exames de imagem para um correto mapeamento da localização e do número de miomas, além da possível correção de doenças como a anemia, muito comum em mulheres com sangramento vaginal aumentado.

Em alguns casos, optamos pelo uso de algumas medicações hormonais que diminuem o tamanho do mioma antes de uma possível cirurga. Um exemplo é o uso da goserelina, análogo do GnRh e que bloqueia a produção de estrogênio, principal alimento para o mioma.

A miomectomia é uma cirurgia possível, converse com o seu ginecologista.

bottom of page